Arquivo do mês: setembro 2012

Espada e Magia

Essa moça tem algo especial:
Frescor de franqueza, tanta doçura,
E um sorriso-menina sobre o qual
Quero o beijo tenro, que mela — e cura.

Ela diz ser bruxa; estou quase a crer!
Mexe comigo sem nem me tocar…
Juntos, somos afeto, ardor, poder:
Uma feiticeira, um guerreiro, um par.


– – –
Para ouvir um áudio em que recito este poema, clique aqui.

Anúncios

Papel-amor


Tuas fotos, meu conforto mudo
Gritantes e atemporais signos
Do que sempre quis de minhas vidas.

Lembranças de lembranças,
Tornam insustentável a saudade
Que buscam sustentar.

Rasgado, toco teu sorriso macio, de papel,
E treino e rabisco só pra ele os meus sentidos
Na mais bela ordenação de quatro letras.


– – –
Publiquei este poema no livro “Homens de Saia”, que lancei em 2009 com Lucia Judice.

Única

Morena leonina da pele branca
Juba tão negra, tão longa, tão lisa
Teu olhar mestiço marcante me avisa:
“Sou muito mulher; sou fogo, sou franca”

Morena branca da pele leonina
Sempre que amarra essa negra cortina,
Os braços na altura do nariz fino,
Percebo de novo porque me fascino

Por essa mulher de quem quente emana
Simples sorriso de amazona urbana:
Revela, elegante, teus mais de vinte
Mistérios fartos, felino requinte

E segundo seguinte segue adiante
Qual leoa que és: exuberante.


– – –
Escrevi esse poema em 2009 e fui um dos vencedores do Prêmio Flipoços daquele ano com ele. Achei que seria adequado para começar este blog.