Arquivo do mês: agosto 2013

Tatuada

tatuada

Essa onça-mulher da pele marcada
Pintada-arteira, faz obra de si.
Seus braços são asas, flores e fadas
Nas costas, cores; e, abaixo dali,

Desenha desejos nas curvas certas,
E expõe em segredo tintas felinas:
“Seu corpo canta, recita, disserta!
Poema andante, mosaico-menina”.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.

Anúncios

Pós-moderna

Posmoderna
Eu sou muito independente,
Ganho mais que muita gente.
Mas, se sairmos, barbudo,
Seja gentil — pague tudo!

Pois, no câmbio do meu couro,
Colo e culo valem ouro:
Eu misturo “cavalheiro”
Junto com o seu dinheiro.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.