Arquivo do mês: julho 2015

Por acaso

Poracaso1

Entre tantos números,
Meu código binário
Casou com o teu:
Um par que começa
No frio toque das teclas.

Hoje, tentar mesmo amar
É meio zero ou um
Tal que tudo ou nada;
Ignorar e bloquear ou
Coração e mudança

De status no Face
E olhos que brilham
Com sorrisos de lua.
Fato: demos um reset
Na Via Láctea.

Agora, nossas noites dizem
“Bom dia” a todos os sóis!
Sem maquiagem nem fugas,
Vamos curtir e compartilhar
Verdade e vida

Mas só entre nós,
Com carne e emoções
Quentes.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.

Anúncios