Arquivo do mês: setembro 2015

Aridez

arid love by NG-cRoniK

“arid love”, por NG-cRoniK

Mesmo o mais alcoolizado humor
Só respinga o deserto cinza
Que é tentar amar na cidade.

Promessas movediças desenham na areia
Mil e um grãos de “para sempre”,
Todos eles (e elas), por fim, desmanchados.

Resta a bomba-relógio tragável
De vários vícios vingativos:
Eis a poluição em nossas veias.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.

Anúncios

Cardápio

Cardápio

Quantas possibilidades!
Esse mundo de fartura,
Com sua cultura de muitos,

Desejos que mastigam carnes,
Carnes que digerem sonhos:
Fica a indigestão da alma.

Opções demais, tão somente,
Mordiscam goles de romance
E vomitam mais opções.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.