Arquivo do mês: maio 2016

Consumidos

Consumidos

“Segredo de nada, de fato, não dói”
Dizem dois amantes mentirosos
No entanto, se nada não foi,
Se solo não houve
E sim, dois
Se sal foi trocado
Por par; então, estes lábios
Aprisionarão, para além da vida,
Verdades vermelhas nascidas mortas.

 

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.

Anúncios

Propósito

Proposito1.jpg

Uns acham moeda
No acaso escuro
De um fundo de gaveta:
Fortuna mundana.

Outros enxergam
Placebos de paz
Em templos tantos:
Felizes fantasmas.

Quero-me mais
Sorrisos sinceros
E fome por verdade:
Ambição ambivalente.

Mas encontro minha vida
Nas notas cantadas
Por pernas abertas
(Outrora, fechadas)
Da mulher que amo.

– – –
Você pode ouvir o poema recitado aqui, por mim.